how do you type an essay title in an essay best services for someone writing your essay content writing services canada what is seo writing types of content ged writing essay notes

Aprender a tocar piano reduz risco de doença neurodegenerativa

A conclusão é de um estudo internacional.

As pessoas que aprendem a tocar piano após os 60 anos correm um menor risco de desenvolver demência, revela um estudo realizado por investigadores da Universidade de Genebra, na Suíça, e da Hannover Medical School, na Alemanha, publicado na Frontiers in Aging Neuroscience.

O estudo envolveu 121 idosos saudáveis, com idades entre os 60 e os 70 anos, que nunca haviam tocado um instrumento. Metade dos participantes inscreveram-se em aulas semanais de piano, com a duração de uma hora, por um período de seis meses. Foi-lhes também pedido que praticassem piano em casa todos os dias durante, pelo menos, meia hora.

Os restantes assistiram a espetáculos semanais de diferentes tipos de géneros musicais. Contudo, não podiam tocar, cantar ou bater palmas.

Os investigadores compararam as imagens dos cérebro dos participantes antes e depois da experiência para analisar mudanças na substância branca cerebral, que diminui naturalmente com a idade e desempenha um papel importante na cognição e memória. Segundo os autores do estudo, os idosos que tiveram aulas de piano perderam pouco ou nada dessa substância branca, o que sugere que não houve declínio cerebral. Por outro lado, o outro grupo demonstrou uma redução significativa da densidade da substância branca, pelo que o risco de desenvolver demência e outros problemas de memória foi considerado superior.

Demência, recorde-se, é um termo genérico utilizado para designar um conjunto de doenças que se caracterizam por alterações cognitivas que podem estar associadas a perda de memória, alterações da linguagem e desorientação no tempo ou no espaço. Para a maioria não existe tratamento e também não há uma forma definitiva de prevenir a demência.

A Organização Mundial de Saúde estima que existam 47.5 milhões de pessoas com demência em todo o mundo, número que pode chegar os 75.6 milhões em 2030 e quase triplicar em 2050, para 135.5 milhões. A doença de Alzheimer representa cerca de 60 a 70% de todos os casos de demência.

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Usamos cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização. Mais informação

Usamos cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Fechar